Pedra nos rins (cálculo renal)

Cálculos renais, ou pedras nos rins, são formações endurecidas nos rins ou nas vias urinárias, resultantes do acúmulo de cristais existentes na urina. Sua presença pode passar despercebida, sem sintomas, mas pode também provocar dor muito forte (principalmente quando a pedra se localiza no ureter, o canal que leva a urina dos rins para a bexiga). Quando ocorre, a dor comumente começa nas costas e se irradia para o abdômen em direção da região inguinal (virilha). É uma dor que se manifesta em cólicas, isto é, com um pico de dor intensa seguido de certo alívio. Em geral, essas crises podem ser acompanhadas por náuseas e vômitos e requerem atendimento médico-hospitalar.

A importância do ultrassom

Estudos mostram que cerca de 90% dos cálculos são expelidos espontaneamente (sem a necessidade de intervenção médica) quando são menores que 4mm. Por outro lado, 90% dos cálculos acima de 6mm não são eliminados naturalmente, requerendo o acompanhamento de um médico (normalmente o urologista). Através da medida do tamanho do cálculo realizada no exame de ultrassom seu médico pode dizer com uma certa segurança qual a probabilidade do cálculo ser eliminado sem a necessidade de alguma intervenção.

Além disso, a localização exata do cálculo dentro do ureter ajuda o médico a saber qual conduta irá tomar, se é possível ou não fazer a retirada do cálculo (através da ureteroscopia, onde uma pequena câmera é colocada na bexiga através da uretra e o médico consegue “pescar” o cálculo pra fora) e se é possível ou não quebrar o cálculo (através da litotripsia, onde ondas de choque são emitidas através da pele na tentativa de fragmentar a pedra).

Causas

  • Volume insuficiente de urina, ou urina com muita concentração de sais;
  • Grande quantidade de cálcio, fosfatos, oxalatos, cistina, ou falta de citrato;
  • Distúrbios metabólicos do ácido úrico ou da glândula paratireóide;
  • Alterações anatômicas (alterações na forma dos sistemas coletores dos rins ou do trajeto do ureter);
  • Obstrução das vias urinárias.

Diagnóstico

Além das evidências clínicas (dor intensa e sinais de sangue na urina), cálculos renais podem ser diagnosticados por raios X de abdômen, ultrassom, urografia excretora, ou tomografia computadorizada (Nota: de todos esses exames, o único que não usa radiação é o ultrassom).

Sintomas

  • Sangue na urina;
  • Suspensão ou diminuição do fluxo urinário;
  • Necessidade mais frequente de urinar;
  • Infecções urinárias.

Tratamento

Ao contrário do que se recomendava no passado, durante as crises deve ser evitada a ingestão exagerada de líquidos. Líquido em excesso pode aumentar a pressão da urina no rim e, consequentemente, aumentar as dores. Os tratamentos podem ser de vários tipos:

  • Medicamentos podem ser indicados apenas pelo médico levando em conta a causa da formação dos cálculos. Durante as crises, é indicado o uso de analgésicos e anti-inflamatórios potentes para aliviar a dor, que é extremamente forte, quase insuportável.
  • Litotripsia, ou seja, bombardeamento das pedras por ondas de choque visando à fragmentação do cálculo o que torna sua eliminação pela urina mais fácil.
  • Cirurgia percutânea ou endoscópica: por meio do endoscópio e através de pequenos orifícios, o cálculo pode ser retirado dos rins após sua fragmentação.
  • Ureteroscopia: por via endoscópica, permite retirar os cálculos localizados no ureter.

Compilações:

  • Insuficiência renal (quando os rins param de funcionar), podendo necessitar de hemodiálise em alguns casos (quando os cálculos obstruem os dois rins, quando há cálculo em pacientes com rim único ou quando estão associados a alguma doença já existente que cause ou contribua para a insuficiência renal crônica).
  • Sepse grave (infecção generalizada), necessitando de procedimentos na urgência.

Recomendações

  • Beba muita água regularmente. De dois a três litros por dia. Essa é a medida mais importante para prevenir cálculos renais;
  • Utilize um filtro de papel quando houver a possibilidade de estar eliminando um cálculo. A análise de sua composição pode orientar o médico na escolha do tratamento mais adequado;
  • O uso de medicamentos contra dor deve ser prescrito pelo médico. Alguns deles são desaconselháveis para pessoas com problemas estomacais ou para gestantes;
  • Controle a ingestão de alimentos ricos em proteínas e cálcio, se os cálculos forem formados por excesso de ácido úrico ou cálcio;

Não se automedique nem faça o próprio diagnóstico. Procure atendimento médico, especialmente se tiver dores intensas nas costas ou no abdômen e sinais de sangue na urina.